Saúde da mulher: Viver bem aos 50

Algumas práticas e hábitos são essenciais para cuidar da saúde feminina com a chegada dos 50 anos. Mulheres devem ter maiores cuidados em diversos pontos e é importante compensar as alterações hormonais, cardiovasculares e musculares.

O ganho de peso durante o envelhecimento é comum nas mulheres devido a diminuição da sua massa muscular, além do acúmulo de excesso de gordura devido a uma menor taxa metabólica. Mudanças hormonais podem causar uma série de sintomas e aumentar o risco geral de doenças cardíacas e do AVC (acidente vascular cerebral). A absorção de certos nutrientes pode diminuir devido a perda de ácido estomacal, trazendo a necessidade de uma mudança em sua dieta, priorizando certos tipos de alimentos.

Confira abaixo dicas essenciais para uma vida plena e com bem-estar a partir dos 50 anos:

1. A Vitamina B12

O B12 é encontrado principalmente em peixes e carnes. Esta vitamina contribui para manter suas células nervosas e sanguíneas saudáveis e a medida que envelhecemos, nosso ácido estomacal diminui, tornando mais difícil a absorção de nutrientes como o B12, trazendo a necessidade de um controle maior junto a sua dieta. Em alguns casos é indicada a suplementação da vitamina, considerando seu histórico de saúde, exames de diagnóstico e avaliação de um profissional

2. O Sal

Conforme envelhecemos, torna-se mais fácil desenvolvermos a hipertensão arterial (pressão alta), já que nossos vasos sanguíneos tornam-se menos elásticos. O consumo de sal é um dos principais inimigos. O aumento da pressão ocorre porque, quando o sal chega à corrente sanguínea, uma grande alteração no equilíbrio dos líquidos internos acontece. O excesso da substância leva à retenção de água e a uma sobrecarga no coração, ocasionando o aumento de pressão. A hipertensão arterial coloca-nos em risco de acidente vascular cerebral, ataque cardíaco, insuficiência cardíaca, doença renal e morte precoce. A OMS (Organização Mundial de Saúde) recomenda um consumo  entre 0,1 e 0,5 gramas por dia. Mas lembre-se: consulte seu médico para avaliar as particularidades da sua saúde.

3. O Ferro

A menopausa e a cessação do período menstrual ocorre em torno dos 50 anos. A partir deste período a necessidade de ferro diminui para cerca de 8 mg por dia. É importante controlar seu consumo, já que o excesso de ferro no organismo pode causar danos para o fígado e coração, por exemplo. Além de ficar atento aos alimentos ricos em ferro, deve-se ter cuidado no consumo de suplementos ricos em ferro. Antes de iniciar uma rotina de suplementação, consulte um profissional, além de realiza exames para avaliar sua saúde.

4. O Cálcio e a Vitamina D

Devido às alterações gástricas e hormonais, os níveis de consumo de Vitamina D e Cálcio devem aumentar. Evidências mostram que após a menopausa, mulhers têm maior risco de osteoporose devido à falta de estrogênio. Além disso, após 50 anos, os ossos ficam mais fracos, aumentando as chances de fratura e diminuindo o processo de calcificação. Coloque em sua dieta os alimentos ricos em cálcio, como sardinhas, espinafre, brócolis, couves e leite e iogurte com pouca gordura ou sem gordura. Além disso, é importante o consumo de vitamina D, que ajuda na absorção do cálcio no organismo, além de auxiliar no tratamento de doenças autoimunes, que costumam se apresentar com maior incidência nesse período, como a artrite reumatoide, por exemplo. Outro ponto positivo dela está no auxílio a prevenção da diabetes e também de problemas cardiovasculares.

5. Atividades físicas

O melhor exercício em qualquer idade é aquele que você gosta de fazer. No entanto a partir dos 50 anos os exercícios de força/resistência têm uma importância fundamental na manutenção da sua saúde. Estes exercícios são os melhores para fazer aos 50 anos, por dois motivos, o primeiro é que eles ajudam a diminuir a perda de massa muscular que começa a acelerar ao longo do envelhecimento. A perda de massa muscular, pode comprometer a marcha (forma de caminhar), o equilíbrio, além da sua força. Além disso, a prática de atividades físicas é essencial no combate à osteoporose (perda de massa óssea), que começa a acometer as pessoas nessa faixa etária, principalmente as mulheres. O ACSM (American College of Sports Medicine), elaborou algumas diretrizes para a prática de exercícios em diversas idades e condições de saúde. Para um adulto saudável o recomendado é a prática de exercícios aeróbios em intensidade moderada por 30 minutos pelo menos 5 vezes por semana ou 20 minutos 3 vezes por semana em intensidade vigorosa. Exercícios de força/resistência muscular de 2 a 3 vezes por semana com no mínimo um exercício para cada um dos principais grupos musculares. E exercícios de alongamento 2 vezes por semana, para cada um dos principais grupos musculares permanecendo 1 minuto em cada exercício. É sempre importante o acompanhamento de um profissional e realização de avaliação física e cardiológica.

Cuide da sua saúde e tem mais qualidade de vida e bem-estar!

Fonte: Cleveland Clinic

MÃE DE DEUS CENTER

Últimas publicações

Saúde da mulher: Nutrientes essenciais
Dia Internacional da Mulher
Mês da Mulher