28/7/2018

Dia Mundial de luta contra as Hepatites Virais

Desde 2010 a Organização Mundial da Saúde (OMS) estabeleceu a data 28 de julho como o Dia Mundial de luta contra as Hepatites Virais.

No Brasil, os “top trends” são os vírus das hepatites A, B e C. O quadro clínico pode variar apresentando sintomas clássicos até pouco ou nenhum sintoma. Quando ocorrem, eles são similares entre todos os tipos de vírus podendo desencadear: mal-estar, febre, náusea, vômitos, icterícia (pele e mucosas amareladas), cansaço e alteração da coloração da urina e fezes. Dessa forma, o diagnóstico é realizado por meio de exames laboratoriais. 

No entanto, os vírus causadores de hepatite possuem vias de transmissão diferentes e portanto pedem medidas preventivas distintas. Confira abaixo e fique bem informado.

Hepatite A: Transmitida através da ingestão de água e alimentos contaminados. A infecção tem 100% de resolução, mas a prevenção também se faz importante através de melhora no saneamento básico, higiene pessoal e de alimentos adequadas, ingestão de água tratada e vacinação.

Hepatite B: Transmitida por via parenteral, ou seja, por meio de objetos contaminados (laminas de barbear, alicates de unha, escova de dente, agulhas, seringas), relação sexual desprotegida e durante a gravidez (via vertical). Nos adultos, 5-10% podem evoluir para a forma crônica da doença, que pode levar a sérios danos no fígado como cirrose hepática e câncer de fígado. A prevenção é a melhor forma de evitar a infecção, então, fique atento às medidas padronizadas para uso de materiais descartáveis e esterilização correta em locais que manipulam sangue (hospitais, salões de beleza, estúdios de tatuagens e colocação de piercings), não compartilhe objetos pessoais, use preservativos, realize o pré-natal e faça a vacina.

Hepatite C: Transmissão parenteral igual à da hepatite B, porém nesta hepatite a via sexual e vertical é mais rara. A maioria das pessoas não apresenta sintomas e até 80% delas evoluem para a forma crônica, que também pode levar a cirrose hepática e câncer de fígado. A prevenção segue a mesma regra da hepatite B, mas atenção! Para hepatite C não existe vacina.

Dados da OMS mostram que no Brasil, uma em cada trinta pessoas pode ter o vírus da hepatite C e não saber que é portador!

A regra é clara: Previna-se, vacine-se, faça o teste!

Responsável pelo texto: Dra. Scheila Andrzejewski | Médica Infectologista – RQE 32010

 

MÃE DE DEUS CENTER

Últimas publicações

Sua saúde em um só lugar
Tour Virtual Casacor RS 2018
Trajetória de Sucesso